O QUE JESUS QUIZ DIZER?

João 9:3. “Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus.”

O QUE JESUS QUIZ DIZER NO VERSÍCULO?

João 9:3. “Nem ele pecou nem seus pais; mas foi para que nele se manifestem as obras de Deus.”

Que, através do cego, outros pudessem crer no Senhor Jesus Cristo.

Nota PA.

Todo homem deve ter experiência com a misericórdia e o poder de Deus.

Sempre depois de ações boas, pessoas têm suas opiniões Por que lhe aconteceu?

Nas calamidades geralmente as pessoas têm suas opiniões de pecado.

Devemos ter o cuidado em nossas avaliações de julgamento, quando as pessoas estão sofrendo. Jesus não validou julgamento da pergunta dos discípulos. A resposta de Jesus derrubou o preconceito do sofrimento do cego. O mérito da resposta foi a glorificação da manifestação do poder de Deus.

Deus sempre será glorificado nos homens, seja para o bem ou para o mal, mas isso é julgamento de Sua soberania.

O pecado de muitos homens é fechar seus olhos para a Luz.

O pecado de muitos homens é não enxergar Cristo.

Deus nunca excluiu ninguém da sua justiça.

Jo. 9:39-41. Disse Jesus: “Eu vim a este mundo para julgamento, a fim de que os cegos vejam e os que vêem se tornem cegos”. Alguns fariseus que estavam com ele ouviram-no dizer isso e perguntaram: “Acaso nós também somos cegos?” Disse Jesus: “Se vocês fossem cegos, não seriam culpados de pecado; mas agora que dizem que podem ver, a culpa de vocês permanece.

Você não é o pior do seu caso, todos têm problemas, não pense de si mesmo. Nem todos os sofrimentos significa indignação divina. Muitas de nossas queixas são do nossos próprios atos. Os justos não sofrem indignação divina.

As dificuldades às vezes são inexplicáveis e só podem ser explicado pela a nossa dependência no Senhor Jesus.

Rm 8:33-34. Quem fará alguma acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem os condenará? Foi Cristo Jesus que morreu; e mais, que ressuscitou e está à direita de Deus, e também intercede por nós.

Os filhos de Deus tem uma defesa que ninguém pode derrubar, Cristo deu a sua vida por nós. Não existe espaço para dúvidas, nossas aflições e sofrimentos devem ser uma experiência, para os experimentar a misericórdia e o poder Deus em nossas vidas.

O homem nasceu cego para que o nosso Senhor Jesus pudesse provar que Ele é o enviado de Deus, como Verdadeira Luz para os homens.

INTRODUÇÃO À PROSPERIDADE

INTRODUÇÃO A PROSPERIDADE.

Muitas pessoas veem o dinheiro como a raiz de todos os males, outros acreditam que a pobreza faz as pessoas se aproximarem de Deus, e há pessoas também, que creem que serão automaticamente (destinados) prósperos financeiramente por serem filhos de Deus.

Esse tema prosperidade tem sido muito explorado em muito ministérios, e tem comprometido a pureza da doutrina, e as consequências é um evangelho de disputa financeiro.

Prosperidade está diretamente ligada a realização de planos e objetivos, e a felicidade é crescimento interior. Prosperar é melhorar de condição, é progredir, desenvolver, crescer e enriquecer.

Alguns pensamentos tem sido demasiadamente extremo em relação a prosperidade bíblica. O fato das pessoas estarem na igreja, elas querem prosperar materialmente e serem ricas financeiramente. Seus argumentos é que Deus, é dono do ouro e da prata, por serem filhos de Deus eles têm direito as minas e serem ricos.

Muitos crentes são confortados com o ouro e com a prata. No templo de Salomão havia muito ouro e muita prata, e tantas foram as aflições do povo. Nesta temporada a Glória do Senhor está na sua Paz Espiritual. A última casa opera sem ouro ou prata, mas o que temos é muito precioso, o Nome Jesus. Jesus a Glória da última Casa.

Não podemos confundir riqueza matérias com riqueza espiritual. Prosperidade é um alto estar de espírito, isso envolve o interior do homem, seja rico ou pobre. Deus nos deu uma vida progressiva tanto espiritual como material e não podemos julgá-las ou avaliá-las, por preferência de Deus nas pessoas.

A revelação bíblica é dada de maneira progressiva, e deve ser confirmada de acordo a perfeição da prática da Palavra de Deus. Homens sem carácteres estão invalidado a fé daqueles que são pobre financeiramente dizendo que há problema espiritual em suas vidas de fé.

Aquele que tem recursos, não ensoberbeça, sabia levantar as mãos ao céu e agradecer a Deus que lhe deu todas essas coisas.

Aqueles que não tem os recursos, não se sinta desamparados, Deus cuida de você.

Salmos 37:25. Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão.

Dê graças a Deus por tudo isso em obediência, seja possuindo ou não! A nossa porção é Deus. A vontade de Deus para a vida do crente em primeiro lugar é Jesus Cristo, depois as outras coisas vão sendo acrescentadas.

O erro é ser pobre e tolo, como também ser um rico e tolo. Ser um insensato rico, como ser insensato pobre. Em Deus tanto o pobre como o rico devem se sentir prósperos. Porque a maior riqueza do homem está no Céu.

Quem da os frutos é a terra, isso vem de Deus. Lc. 12:15. Então, lhes recomendou: Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui.

Você não pode esbanjar o celeiro, e achar que não precisa de mais nada.

Nossa felicidade e conforto não depende das grandes riquezas deste mundo.

Tanto o rico como o pobre estão descontente, suas almas precisam da abundância de Paz que está em Jesus, para tira-lhes a inquietação de ter ou não ter.

O rico não pode deixar a arrogância ser a medida da sua fortuna.

O pobre precisa saber como andar na sociedade, a decência, honestidade, abrem portas.

O grande absurdo do pobre e do rico, é colocar suas ansiedades e sensibilidades nas riquezas deste mundo. A falhas dos projetos humanos é não confiar a Deus a humildades para ser rico ou pobre. Que o rico não se glorie nas suas posses e o pobre, não se glorie na sua humildade. Toda presunção é tolices, é prejudicial e maligna. A Glória do pobre e do rico é Cristo.

PERSPECTIVA – APÓSTOLO ROY PILLAY.

Acreditamos na prosperidade e no avanço total da pessoa. Infelizmente, muitos professores em prosperidade se concentraram apenas em dinheiro. Queremos ensinar que ser próspero não é pecado. O amor ao dinheiro é a raiz do mal. O dinheiro não é mal. Quando estamos obcecados com dinheiro e posses materiais, esta é a raiz do mal. Nós desejamos o favor de Deus e o favor do homem.